BlockchainCriptomoedas

Depois da Venezuela, Irã é o próximo país considerando uma criptomoeda estatal

Contrariando os relatos de que o governo iraniano estaria preparando uma infraestrutura para utilização de bitcoin no país, o Banco Central do Irã refutou as alegações de que o governo reconheceria bitcoin como uma moeda legal.

Em novembro, o ministro iraniano de Informações e Comunicações Tecnológicas (ICT) revelou que estava se preparando para abarcar bitcoin como uma solução para driblar sanções econômicas, que desconectaram o sistema bancário iraniano do comércio e do sistema financeiro global.

“O ministério de informações e comunicações tecnológicas já está conduzindo uma série de pesquisas, como parte de um esforço para preparar uma infraestrutura que suporte o uso de Bitcoin dentro do país,” afirmou o ministro, à época, Amir Hossein Davaee.

Irã passou por um “blackout” bancário após a plataforma de pagamento global, SWIFT, banir o país de sua rede em 2012, bloqueio que durou quatro anos antes que as sanções aplicadas fossem retiradas pelo presidente estadunidense à época, Barack Obama, como parte do acordo nuclear de 2016.

O Alto Conselho Iraniano de Ciber-espaço (HCC) declarou sua visão positiva sobre criptomoedas, especialmente bitcoin, sem deixar de falar sobre regulamentações.

“O Bitcoin é bem vindo em nosso país, contudo, precisamos regulamenta-lo, assim como qualquer outra moeda digital,” declarou o secretário da HCC, Abolhassan Firouzabadi.

Entretanto, a declaração recente do banco central do país jogou um balde de água fria em qualquer ideia amigável relacionada a criptomoedas, rejeitando declarações passadas de autoridades favoráveis ao Bitcoin.

Conforme veiculado pela agência de notícias local, Iran Front Page, o Banco Central do Irã disse que nunca reconheceu Bitcoin ou outra criptomoeda como oficiais no país. A entidade ainda alertou investidores, afirmando que eles poderiam perder ativos financeiros em investimentos relacionados às criptos, devido à volatilidade do mercado.

Na publicação da agência de notícias iraniana, o banco foi citado, dizendo:

“As flutuações incontroladas das moedas digitais, junto às atividades de negócios que utilizam marketing multinível e esquema de pirâmide, tornaram o mercado destas moedas altamente inseguro e arriscado.”

Ademais, o banco central, supostamente, está colaborando com outras instituições no desenvolvimento de um mecanismo que visa controlar e prevenir que criptomoedas adentrem o Irã. A veracidade deste projeto ainda precisa ser constatada, tendo em vista que o banco não emitiu nenhuma declaração oficial sobre o assunto.

O que se sabe, contudo, é que o Irã tem interesse em criar uma criptomoeda estatal. Ontem, o atual ministro de Informações e Comunicações Tecnológicas, Mohammad-Javad Azari Jahromi, revelou publicamente os esforços do governo em explorar uma criptomoeda estatal, utilizando tecnologia blockchain. A iniciativa está tendo apoio do Post Bank of Iran, um banco estatal localizado na capital do país.

A mensagem diz, aproximadamente, que:

“Em um encontro com o conselho diretor do Post Bank of Iran, que tratou sobre moedas digitais baseadas em blockchain, as medidas necessárias para uma implementação piloto da primeira moeda digital do país foram definidas, utilizando-se a alta capacidade do país. Um modelo piloto para análise e aprovação será apresentado ao sistema bancário iraniano.”

A incursão do Irã em busca de uma criptomoeda estatal segue a pré-venda da Petro, criptomoeda estatal da Venezuela, descrita como uma criptomoeda lastreada por petróleo.

Fonte: CCN.com

 

Comente e fortaleça a comunidade cripto no Brasil:
%d blogueiros gostam disto: